Desde o final do ano passado que eu voltei a andar de ônibus…pois é, a "patroa" agora é quem manda no carro. De qualquer forma essa não foi uma coisa tão ruim, afinal o trânsito nos horários de ida e vinda do trabalho é horrível e, além disso, voltei a fazer uma coisa que curto muito: ler.

Como é uma grande perda de tempo a viagem de ônibus, então recomecei a ler e nesses 5 meses já se foram 6 livros. A partir daí comecei a olhar mais de perto o Kindle, tão famoso e-book reader da Amazon.

KindleFamily

Na minha opinião, esse tipo de dispositivo tem muitas vantagens sobre o livro comum, além de ter uma tela ótima para leitura como o papel.

Por exemplo, você pode levar vários livros de uma vez só, é mais leve que apenas um livro, e, no caso do Kindle, algumas versões dele possuem suporte a audiobooks e MP3. Pra mim é muita vantagem porque posso estudar um pouco mais de inglês lendo e ouvindo livros estrangeiros!

E o futuro?

Então uma nova publicação de pedido de patente foi registrado, sendo Jeffrey Bezos da Amazon um dos responsáveis, que trata da invenção de um remote display, basicamente um dispositivo com uma tela com um mínimo poder de processamento e armazenamento que receberia dados e energia vindos de uma estação primária. Um dispositivo sem bateria, mas que sempre estaria energizado através de carregamento sem fio.

Já pensou eu lá no busão com meu Google Glass lendo incontáveis livros? hehehe Isso aí ainda tá muito longe, mas em um campus universitário seria uma boa!

google glass girl

 

Fonte: GeekWire